7º Miniconto: Lar da Agonia

Lar Da Agonia

Tento adormecer, mas imagens macabras não deixam minhas pesadas pálpebras caírem. Sou sensitivo, sinto o desespero dos vivos, dos mortos, almas em agonia.


Levanto de minha cama, vozes injustiçadas gritam, espíritos presos a grilhões pedem justiça, clamam piedade.
Os espelhos são portas, neles não enxergo o meu reflexo, vejo a dor daqueles que tiveram a vida interrompida.

Tudo perturba. Se não os que já se foram, os que ainda estão por ir, marcando meu corpo em escarificações de fome, sede, opressão e dor.


Então me entupo de morfina, despejado em um sofá sujo, olhando uma TV e rezando para que a overdose venha logo, saciando meu corpo aflito pela benção dos interrompidos. Esperando Morrer.


Autor: Felipo Bellini Souza               Criação: 11/12/2009           Objetivo - E-zine Terrorzine do Ademir Pascale
5