1ª Estória Sem Noção - Aventureiros Na Taverna e a Espadada No Azeite


Aos Aventureiros Na Taverna

O ambiente da taverna é mágico, são diversos aventureiros oriundos das terras mais distantes e sombrias que se reúnem dispostos a contar e surpreender espectadores com suas ações heróicas contra as mais adversas situações do mundo fantástico. No entanto, esteja sempre atento ao que escutar e aprenda a distinguir o rato mentiroso daquele que revela seus reais atos... 

Espadada no Azeite

Era um dia quente e montado em meu alazão prosseguia sozinho a caminho do oeste. Naquela manhã eu procurava uma casa para pedir um pouco de água quando, passando pelos montes pedregosos onde se planta oliveiras, percebi um medonho altar na sacada de uma casa abandonada.

Intrigado, e como o herói que sou, larguei meu cavalo e fui averiguar do que se tratava. Era um altar em prata, com ossos de animais ao redor e rodeado por jarras gigantes. Foi olhando mais de perto que percebi uma pedra preta, parecida com ametista, contornada por runas antigas. Foi ai que percebi que se tratava mesmo era de um ritual para invocar alguma criatura sinistra.

Foi só eu me colocar dentro de uma das jarras que uma fumaça preta e forte começou a tomar o ambiente e gemidos fortes começaram a ecoar do altar. Levantando um pouco a tampa da jarra eu que já estava todo molhado do azeite que ali continha, me deparei com um espírito banido, destes que os bruxos e feiticeiros invocam para se comunicar com os demônios.

Era uma criatura sinistra, sem corpo aparente, sendo apenas um crânio de cachorro no topo do corpo que lhe dava a forma. Infelizmente minha curiosidade me condenou, e quando eu menos esperava, a criatura se largou em cima da jarra em busca de me levar com ele.

Mas naquele dia meus amigos, os deuses estavam ao meu lado, e armado com minha cruz e espada, eu saltei do jarro e cortei a criatura com minha espada toda banhada de óleo. Foi ai que eu percebi, melhor que água benta para assombração é uma boa espadada no azeite. O único problema é a reação luminosa permanente que os ectoplasmas com oliva me causaram, mas ai já é papo para uma próxima aventura...
 Mais um hidromel taverneiro!!!

Obs: Eu espero que vocês estejam gostando. Esse é um texto de alguns que virão, com essa forma. São  baseados na teoria de um autor/animador que eu gosto muito chamado Eulipo.

Autor: Felipo Bellini Souza       Criação: 26/09/2011        Objetivo: felipobellini.blogspot.com
0