13ª Resenha Crítica - A Revolução dos Bichos

Antes de tudo conheça o nosso novo blog: http://demonstre.com/




Saudações, leitores! Como vão? Creio que já conhecem o livro que resenharei hoje, afinal, A Revolução dos Bichos é um livro muito famoso, não? Todos ouvimos falar dele quando estudamos história no ensino médio ou fundamental. George Orwell, um socialista democrático, publicou o livro em 1945 como uma sátira à União Soviética desde o início do processo revolucionário. É conhecido o horror que Orwell tinha ao stalinismo e esse permeará toda a sua obra, que é admirada por pessoas de diferentes visões políticas, sejam socialistas, anarquistas, conservadores, liberais, libertários ou qualquer outra coisa.

O enredo de A Revolução dos Bichos se desenrola na Fazenda do Solar, que é propriedade do Sr. Jones. O fazendeiro costumava ser competente em seu trabalho, mas depois de ter perdido um processo, passou a abusar do álcool e devido a seus excessos acabou por negligenciar os animais e a fazenda, tornando-se cada vez mais cruel, obrigando os animais a trabalharem em excesso e esquecendo de alimentá-los por causa do seu vício. Um porco chamado Velho Major chama os animais para uma reunião, faz um discurso sobre a opressão aos animais e canta uma canção chamada "Bichos da Inglaterra", em que ele delineia um sonho de liberdade para todos os bichos. O Major morre poucos dias depois e sua vontade é levada a diante por dois outros porcos: Napoleão e Bola-de-Neve.

Em mais um momento de excesso etílico do fazendeiro, os animais se revoltam e o expulsam da fazenda, que passa a se chamar Fazenda dos Bichos. Na parede do celeiro, são escritos sete mandamentos:

1. O que andar sobre duas pernas é inimigo.
2. O que andar sobre quatro pernas, ou que tiver asas, é amigo.
3. Nenhum animal vestirá roupas.
4. Nenhum animal dormirá em uma cama.
5. Nenhum animal beberá álcool.
6. Nenhum animal poderá matar outro.
7. Todos os animais são iguais.

Com o passar do tempo, todos os mandamentos vão sendo reescritos. O sétimo, por exemplo, se torna "Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros", o que serve como justificativa para os porcos serem elevados à condição de líderes e terem tratamento especial em todos os aspectos; da mesma forma, também justifica o cavalo Sansão trabalhar mais do que todos os outros na fazenda. Uma coisa bastante interessante a se notar é que os porcos, líderes da fazenda, vão ficando mais parecidos com o humanos (em hábitos e aparência) conforme avançamos na história, até no final da história torna-se difícil diferenciá-los.


Há uma luta pelo poder entre Bola-de-Neve e Napoleão. O primeiro se mostra a favor da construção de um moinho, à qual o outro se opõe. Enquanto fazia um dos seus discursos, Bola-de-Neve foi pego de surpresa por Napoleão, que o expulsou da fazenda e alegou que o projeto do moinho tinha sido roubado pelo outro.

Napoleão, então líder supremo, toma como objetivo a construção do moinho, para o qual Sansão trabalha com muito vigor. Isso pode muito bem ser interpretado como uma representação da megalomania de do ditador soviético, planejador de obras que nunca foram possíveis. Isso pode ser visto no documentário "A Supercidade de Stálin", do History Channel (o link para ele está no final do post).

Devemos observar que Napoleão não se mantém no poder sozinho. Ele precisa do porco Garganta ("ministro da propaganda") para controlar a informação e de "idiotas úteis" como as ovelhas para justificar suas ações. Os animais da fazenda todos têm personalidades bem distintas e incrivelmente humanas. Benjamin é um asno muito sábio que é um dos poucos animais da fazenda que sabe ler. Ele é pessimista e embora perceba melhor que qualquer um que as coisas estão indo mal na fazenda, ele nada faz para mudar a situação. As ovelhas da fazenda limitam-se a repetir a versão simplificada dos sete mandamentos "quatro pernas bom, duas pernas ruim" sempre que alguém aja contra os interesses de Napoleão. Sansão é um cavalo forte e diligente, que, assim como Benjamin, não age ativamente contra Napoleão. Muito pelo contrário: ele sempre apoia Napoleão e promete trabalhar cada vez mais, de forma que o trabalho resolva todo e qualquer problema que surja na fazenda, mesmo que isso o leve à fadiga e à exaustão. Sansão tem um fim trágico por causa de sua subserviência.

Há, porém, animais que se revoltam contra Napoleão, sofrendo repressão por isso: as galinhas. Ele ordena que as galinhas aumentem a sua produção de ovos e elas se revoltam, quebrando todos os que elas põem antem que sejam levados. Para reprimir a revolta, ele decide não alimentá-las até que sigam a sua ordem. Isso leva algumas galinhas à morte. Esse episódio muito me lembra a Grande Fome Ucraniana, um dos momentos mais cruéis da história, no qual Stálin, diante das dificuldades na estatização das terras ucranianas, ordenou o confisco de todos os suprimentos de alimento locais. Sete milhões de pessoas morreram de fome com essa política.

A Revolução dos Bichos pode ser encarada não somente como uma paródia, embora siga à risca a mesma trajetória que a União Soviética. É uma fábula com muitos temas que podem ser aplicados a qualquer lugar, em qualquer época. O sofrimento, a ganância, a corrupção pelo poder, o controle da mídia e da propaganda (representadas pelo porco Garganta) sobre nossas vidas, as ideologias, entre vários outros fatos representados na obra podem ser vistos de forma semelhante em qualquer lugar em que sejam lidos. É uma história que pode até mesmo ser lida por crianças, sem necessariamente se pensar no contexto soviético.

Vale a pena ser lido tanto como uma denúncia dos horrores stalinistas como por ser uma fábula satírica de grande criatividade que mexe com os sentimentos do leitor, causando-lhe piedade, indignação, riso e outros sentimentos. Sentimos-nos, de fato, como se estivéssemos na Fazenda dos Bichos e conhecêssemos todos muito bem. Muitas crianças - e adultos também! - choram com a desgraça de Sansão ao lerem o livro. Vocês são candidatos em potencial a derramarem lágrimas.

Então, é isso, leitores! Tenham um ótimo final de semana! Em outro momento lhes falarei mais sobre a obra de George Orwell, e sobre seu Magnum Opus 1984. Arrivederci!

Ver também:

A História Soviética, documentário

A Revolução dos Bichos, filme live action baseado no livro

A Revolução dos Bichos, filme em animação baseado no livro

A Supercidade de Stálin, documentário do History Channel
George Orwell (pseudônico de Eric Arthur Blair), autor do livro (artigo da Wikipedia)


Criação: 25/02/2012
Autor: André Marinho
Objetivo: www.ligadosfm.com
0