6º Ensaio Cultural: novos escritores e as redes sociais

Saudações, leitores! Estive pensando cá com meus botões e percebi que cada vez mais tenho ouvido falar em lançamentos de livros ou eventos literários. Seria porque eles têm aumentado em quantidade? Talvez sim, mas a questão não é essa. Livros têm sido lançados desde muito tempo atrás e eventos literários sempre aconteceram. Em maior parte dos que acontecia em Natal, eu caía por acidente. Estava no lugar certo na hora certa. E livros regionais? Estes eu costumava comprar porque estavam com bons preços e em um lugar privilegiado da livraria. Se não fosse assim, como eu teria ouvido falar? Vamos explicar melhor possa prosseguir com meu raciocínio.

Não é segredo algum que novos escritores sempre acabem pagando boa parte de sua publicação, mesmo quando lançados por editoras. Da mesma forma, também precisam lidar com a publicidade do livro. Ora, se revisão, edição e tiragem, entre outros custos, já saem caro para o escritor, imagina se ainda sobra dinheiro para pagar por uma boa publicidade! Por esta razão financeira, os livros acabavam sendo pouco divulgados e, quando havia uma cerimônia de lançamento, maior parte dos presentes chegavam lá, assim como eu, por acidente.

Mas, esperem! Algumas coisas mudaram radicalmente nestes últimos anos. Uma mudança que eu considero a mais importante é o surgimento e a evolução das redes sociais. O Facebook e o Twitter, principalmente, têm se mostrado como meios eficazes de alcançar as pessoas. Se um livro é lançado, cria-se um perfil no twitter, ou uma página para ele no Facebook, na qual o autor tem contato direto com os leitores. Isso tem encorajado muitos escritores que antes tinham medo de lançar livros porque não teriam como divulgá-los. O caso de Acáci - Mundo 17, do jovem escritor Gustavo Diógenes, exemplifica bem o que eu digo. O jovem autor criou um blog e uma página no Facebook dedicados a divulgar o seu novo livro.

Quanto aos eventos, isso também é válido. A divulgação pelas redes sociais tem se mostrado bastante efetiva. O Café Literário Nobel, por exemplo, que aconteceu nesta última terça-feira (31), foi divulgado nas redes sociais pelos palestrantes (três escritores do RN: Gustavo Diógenes, Marco Monjardim e Leonardo de Barros) e pelos organizadores. Foi um sucesso, de fato. E foi assim por causa da divulgação por Facebook, no qual foi criada uma página de evento em que 63 pessoas confirmaram presença.

Os guias culturais, cada vez mais presentes, estão sempre à frente nesse mundo e mostram a todos que bons e novos livros estão sendo lançados. Porém, ainda há muito o que evoluir tanto na divulgação desses eventos quanto na mente dos leitores. Ainda há um forte preconceito com os novos escritores, em especial com aqueles que são da nossa cidade. Esse preconceito é infundado, eu devo dizer. Eu li muitos bons livros daqui, mesmo que também tenha lido livros medíocres (o que existe em qualquer lugar, vale salientar). Assim, proponho a vocês, leitores do blog, que procurem ler os novos autores norte-riograndenses que estão sendo lançados, assim como alguns velhos escritores locais que ainda não alcançaram o sucesso que merecem.

Quanto aos que pretendem ainda lançar um livro (eu incluso), uma dica que posso dar pelo que aprendi com a experiência de outros: invistam na divulgação pelas redes sociais e guias culturais! É barato e bem efetivo. E, claro, se tiverem condições, procurem bons publicitários. Divulgar é necessário, pois não basta somente escrever. Vocês precisam convencer a outras pessoas que aquilo que vocês escrevem vale a pena ser lido!

Ver também:



Autor: André Marinho Criação: 05/02/2011 Objetivo: www.ligadosfm.com
1