21ª Resenha Crítica - Os Conflitos de Fé dos Filósofos


Boa tarde, leitores! Depois de quinze dias, cá estou eu novamente resenhando livros. Vamos aproveitar o feriado para ler um pouco? A obra de hoje é  Os Conflitos de Fé dos Filósofos, de Jônatas F. Cunha, pastor da Igreja Cristã Evangélica e professor de Cultura e Religiosidade Brasileira, Sociologia, Filosofia e Fé no Centro Teológico do Vale do Paraíba. É graduado em Filosofia, Teologia e pós-graduado em filosofia pastoral.

Vencedor do Prêmio Areré 2010 da Associação de Editores Cristãos, Os Conflitos de Fé dos Filósofos é uma obra de poderosa criatividade e elevada sabedoria. A questão fundamental a ser respondida é "por que os anjos caíram?", ou seja, por que determinados filósofos perderam a fé, caminhando para o deísmo, panteísmo, ateísmo ou agnosticismo, entre outras visões? Para responder a esta pergunta, fatos biográficos, detalhes nas obras de cada um deles, bem como seu contexto geral, são alguns dos componentes da análise por Jônatas dos filósofos "entrevistados". O autor torna-se personagem e fala com cada um deles trinta e três anos antes de suas respectivas mortes, dando-lhes para repensar sua fé o tempo de vida que teve Jesus Cristo. As posições apresentadas são bem sensatas, bem fundamentadas e sem nenhum exagerado apelo. Até mesmo o Viktor Frankl, que já teve uma obra resenhada no Ligados FM, é citado.

O livro é uma grande aventura através da história da filosofia pelo olhar de um teólogo. O desenrolar de cada capítulo é muito interessante. Jônatas primeiro nos apresenta o filósofo com o qual conversará, depois vai a seu encontro na cidade em que viveu, cumprimenta-o e inicia o diálogo. Questões relevantes são levantadas e respondidas: "de que forma a religião é 'o ópio do povo' como Karl Marx dizia?", "o que levou Santo Agostinho ao maniqueísmo e como ele recuperou a sua fé?", "por que Nietzsche anunciou a morte de Deus?", "será mesmo a experiência religiosa é somente a projeção de fortes desejos?", "como pode ser o Deus de Espinoza tão impessoal?".

Em particular, muito me agradou o capítulo do Nietzsche, o mais longo de todo o livro. O filósofo desafiador da tradição tem vários aspectos centrais da sua filosofia postos em questão e se mostra um homem sensível que passou por diversas frustrações, chegando a afirmar o fim dos valores e a morte de Deus. Jônatas mostra como o desafeto de Nietzsche com Lou Salomé e o contato com o pessimismo de Schopenhauer aprofundaram a depressão do filósofo do eterno retorno e abalaram a sua fé. As objeções de Nietzsche ao Cristianismo são habilmente questionadas por Jônatas, de forma que até mesmo o mais sincero nietzschiano seria incapaz de permanecer passivo. 

Creio que teria sido interessante fazer com que os filósofos falassem um pouco mais. Jônatas tem relativo monopólio das conversas, fazendo sua voz prevalecer sobre a do pensador com quem dialoga. Eu senti uma necessidade de uma resposta por parte de cada um deles, mesmo a mais simples possível. Creio que houve, no entanto, uma boa razão para eles se restringirem na fala. Seria porque o que o narrador não quis entrar em debate, mas incitar reflexões? Sendo esta a intenção, foi esta muito bem cumprida não somente para os personagens do livro mas também para o leitor.

Os Conflitos de Fé dos Filósofos é um livro peculiar de leitura muito agradável. Com apelo ao público, explica cada detalhe a ser discutido de forma a não deixar dúvidas, fazendo com que seja facilmente digerível para o mais leigo dos leitores. É uma peça única que guardarei com muito carinho em minha biblioteca, pelo seu valor literário, filosófico e teológico, bem como pela boa vontade do autor em ter cedido à equipe Ligados este livro. Em nome da equipe, eu o agradeço!

O livro pode ser adquirido na loja virtual da Arte Editorial, pelo preço de R$ 39,90.

Autor: André Marinho
Criação: 29/04/2012
Objetivo: www.ligadosfm.com
0