9ª História Mal Contada: Todos para a Bastilha


Olá queridos amantes da história. Como vocês estão? Eu estou bem e cheio de novidades para contar. Sente-se e apertem seus sintos para história começar.
Já tendo desistido de encontrar a donzela para entregar a encomenda que meu amigo do front me pediu, comecei a sair da floresta, e ao fazer isso, comecei a avistar  uma fortaleza enorme, mas encontrava-se ainda muito distante. Continuei caminhando no caminho, seguindo  a direção da rota que me levava para a enorme construção que se erguia no meu horizonte. Eu estava faminto e cansado, e necessitava de algum lugar para repousar.
Chegando nas proximidades, fiquei bestiaficado com o tamanho grandioso da fortaleza. Porém, minha desatenção, me levar um enorme tombo, sob uma lança.
- Nossa! Que desastre quem deixou essa lança no meio do caminho! – exclamei alto e indiganado, sem notar que um guarda estava por perto.
- Graças! Você encontrou minha lança, estava preocupado. Desculpe pelo transtorno, um fugitivo da Bastilha estava conseguindo escapar, lancei ela mas não acertei nele. Ordenei para que os soldados fossem atrás dele pela floresta, e enquanto isso, eu estava até agora procurando pela lança. Obrigado por ter encontrado ela. Como eu poderia lhe agradecer?
-Bem... Eu estou com fome...
-Aqui eu não tenho comida – já foi me interrompendo o guarda, com uma fala rápida e levemente autoritária. –Mas, na Bastilha tem comida, vamos até lá.
Foi nesse momento que entendi. Ele era um guarda da fortaleza gigantesca, que chamava-se Bastilha. Entramos. Ela era mais bela de fora do que de dentro. Estava velha, e mal cuidada. Pessoas estavam atrás de grades, e algumas tinha um horrível cheiro de higiene medieval. Subir vários lances de escadas até me encontrar um local relativamente agradável. Tinha uma mesa e com bastante comida.
-Sirva-se a vontade, eu não estou com fome. –Disse o guarda.
-Nossa, obrigado! – enquanto eu pegava uma gordurosa cocha de frango, ia conversando. – Vocês aqui nessa fortaleza comem tão bem assim?
- Eu sou o ofícial chefe da guarda da Bastilha. A comida aqui é boa, mas essa é a refeição dos ofíciais, não de soldados rasos. Eles estão comendo um pouco menos esse ano, tivemos uma colheita fraca. O povo está inclusive revoltado por isso. Ouvir romores de que estão realizando revoltas na cidade. Por sinal, pegarei meu binoculo. Sinto que estou ouvindo algo estranho vindo em nossa direção.
-Como assim? – indaguei ainda mastigando.
-Não ouviu  o barulho que estava fazendo no final da rua quando nos encontramos? Algo estranho está acontecendo, ou está para acontecer. – Enquanto falava o ofícial pegava o seu visualizador a distância. –Bem, vejamos... – falou ele enquanto franzia a testa tentando entender a raiz do barulho que vinha longe.
- Avistou algo?- Perguntei, tentando me aproximar enquanto ainda comia um gostoso pedaço de pão.
-Nossa! Está vendo isso! – Ele me passou o binoculo para eu ver. – Tem uma multidão vindo para cá! Estamos perdidos! Estão armados.
-Isso é um revolta?- perguntei ao ofícial chefe.
-Não, isso é uma revolução!

Autor: Douglas Cavalheiro
Criação: 01/10/2012
objetivo: www.ligadosfm.com
0