Pages - Menu

15 de jan de 2013

58º Mundo Cão - Um extraordinário nada comum (VERÃO ESPECIAL!!!)

Publicação especial de Verão, a coluna Mundo Cão republica uma coluna originalmente publicada em "Entre o Cult, o Pop e o Mundo-Cão", em 22 de setembro de 2011.

Boa leitura!

Há um livro que li (nos últimos anos) e que recomendo a todos que me cruzam na rua ou troco uma ideia por um momento: Outliers, do Malcolm Gladwell. (Para o português, Foras de Série) Uma obra que fala de pessoas extraordinárias e dos fatores que as levam a serem diferenciais e únicas naquilo que fazem.

Não é nada relacionado a autoajuda. O próprio Gladwell critica ferrenhamente essa coisa de autoajuda, já que não adianta tanta disposição para fazer alguma coisa quando se falta organização, saber para onde ir e, sobretudo, preparo.


E aí, o preparo que se toca por aqui é um daqueles que giram em torno de vários sentidos.


O preparo ambiental, psicológico, o de organização, cultura, origem e oportunidades. Na vida, a cada oportunidade que desperdiçamos, temos, em grau reduzido, as chances de obter sucesso com uma determinada coisa. Um projeto de vida, um objetivo. É disto que o Gladwell fala, em outras palavras.


Dependendo de nossas origens, da nossa rotina, dos fatos que decorrentemente nos rodeiam, nada acontece por acaso. E boa parte delas não dão certo por acaso, também. Acontece que não temos a real ideia do que devemos fazer para nos destacarmos em algo. O que ser, o que fazer, do que gostar. Tem gente que faz o que dá dinheiro, porém, se fizesse o que gostasse de verdade, talvez, não estaria comprando apenas 01 pão por dia para dividir com 01 alguém ou mais, mas, dois ou mais para dividir com a mesma pessoa (ou a mesma quantidade de pessoas).


Isto também acontece. Amor às causas perdidas não é permitido em qualquer quarteirão do mundo! E, aí, acabamos por optar por algo que não achamos tão ruim assim de se fazer... E a vida vai seguindo o seu curso.

O que se quer dizer com todo este emaranhado de palavrões sem sentido é que, independentemente do que se faça, indiferente de onde ou com quem se faça, os bons resultados são fruto de muito trabalho, visão sobre o que melhor se pode fazer, sua relação com o ambiente, outros possíveis ambientes e, sobretudo, responsabilidade. Gladwell coloca que os Foras de Série são frutos da soma de todos estes fatores juntos. Não adianta a aptidão, se há falta de empenho ou recursos. Falo de muito empenho... Ou não passará de um ordinário comum.


Um Outlier deve se comportar com um outlier e dispor de todos os recursos necessários ou nada mais será do que um talento engavetado. É preciso muita experiência, conhecimento, esforço e sensatez com o que se faz. Porque, por mais que não haja identificação com o trabalho desempenhado, destreza e iniciativas (próprias e correlatas - e, aqui, contamos com a ajuda de nossos pais e tutores), o tamanho do esforço empreendido não será diretamente proporcional aos resultados objetivados. O restante, a se visualizar, fica à critério do ambiente, conhecimento sobre a causa e oportunidades aproveitadas / desperdiçadas.


Em outras palavras, visão de visionário (de quem projeta e de quem é projetado). De pai para filho; de filho para ele mesmo. E, aí, vemos o porquê de, em determinadas regiões do país e do mundo, haverem pessoas fazendo de tudo o que não esteja de acordo com sua formação ou com seu eu profissional, muita gente batendo perna para outros lugares ou vendo navios enquanto sonha com o elo perdido. Enfim, cada 01 com seu zero à esquerda. Porém, faça para si mesmo a sua parte!


Por: Andesson Amaro Cavalcanti
Em: 15/01/2013
Objetivo: www.LigadosFM.com

Postar um comentário